Conteúdos

Publicações internacionais, noticias e artigos científicos.

Em dezembro de 2019 a VP Diagnóstico realizou uma ação especial, junto às Operações com Cães - BOPE / PMPR. Na ocasião foi feito o teste Vaccicheck em cães adultos e filhotes. 
 
A  Companhia de Operações com Cães do BOPE(Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar) conta com o trabalho dos cães em diversas operações como: patrulhamento, resgates, fiscalização em ações de busca de produtos ilegais, prestando auxílio na imobilização de suspeitos e na captura de fugitivos. Os animais com mais idade, que são aposentados das ações em rua, passam a exercer  atividades mais leves. Depois são adotados por tutores civis ou agentes da corporação, tendo sempre a saúde acompanhada pela corporação.
 
TEXTO
 
Em dezembro de 2019 a VP Diagnóstico realizou uma ação especial, junto às Operações com Cães - BOPE / PMPR. Na ocasião foi feito o teste Vaccicheck em cães adultos e filhotes. O procedimento foi  realizado pelo médico veterinário responsável pelos animais, o Dr. Ricardo Zanatta, sob instrução dos médicos veterinários da VP Diagnóstico, Gisele L. Tesserolli de Andrade e Fernando S. Kloster, e acompanhado de um grupo de estagiários.  A ação ainda contou com a presença de Zohar Shasha, representante da Biogal Galed Labs, indústria que desenvolve esse e outros Kits da linha ImmunoComb distribuídos pela VP. 
 
 
Abaixo você confere os registros e os depoimentos de como foi a experiência para os participantes.
 
FOTO DA AÇÃO 1 2 3 / dá pra colocar 3 fotos, uma do lado da outra
 
https://drive.google.com/open?id=1D5X7fXdVzH41ivvVae8irhRt-ByAMuJk
https://drive.google.com/open?id=1RthDUS1yrQ03DcIUMl5ubqhs9oHNO5d_
https://drive.google.com/open?id=1j9utzQf5kGx4SMYQDm0qhwZzsztFGSse
 
 
DESTAQUE 
Dr. Ricardo Zanatta é o responsável pelos cães da Companhia conta mais sobre  a experiência.
FIM DESTAQUE 
Dr. Ricardo, quantos cães fazem parte das operações do BOPE em Curitiba-PR?  Qual a raça e idade média desses cães?
Ao todo são 38 animais, e pertencem às raças Pastor Belga Malinois, Pastor Holandês, Labrador e Bloodhound.
Qual a importância de fazer um teste de verificação de anticorpos vacinais (Parvovirose, Cinomose e Hepatite Canina) nos cães que auxiliam o trabalho dos policiais?
Como são cães de trabalho e com atividade extremamente alta, sabermos como realmente se apresentaram os anticorpos é essencial para que eles não adoeçam e continuem contribuindo para o bom andamento do serviço em prol da sociedade.
Já conhecia os Kits da VP Diagnóstico? Como foi a experiência usando o VacciCheck?
Não. Gostei muito do método utilizado, assim podemos otimizar as vacinas nos cães.
Quais foram os resultados nos animais testados até agora?
A maioria estava imunizado, alguns sem proteção para algumas doenças.
_
 
Zohar, que esteve no Brasil para realizar visitas aos parceiros do laboratório, destaca que “a aplicação de um diagnóstico preventivo in loco pode economizar tempo e a tomada de decisões para aplicar um tratamento adequado. O controle anual de saúde é importante para identificar problemas de saúde o mais rápido possível e os testes de titulação estão se tornando uma parte importante do controle de saúde de rotina, permitindo a avaliação do status imunológico de doenças essenciais. O teste VacciCheck vem sendo cada vez mais utilizado em universidades, divulgado por líderes de opinião, influenciadores. Além disso, o kit vem sendo utilizado por veterinários em seus pacientes, algo que deixa para trás o conceito de visita para vacinação, para uma conscientização sobre a importância da verificação preventiva anual.”
DESTAQUE
A Dra. Gisele L. Tesserolli, que acompanhou toda ação, também relata sua experiência: 
 “ A visita ao canil do BOPE foi muito produtiva. Pude conhecer a rotina do Dr Ricardo, Veterinário responsável com os policiais e os cães. Conversamos sobre a aplicabilidade do Vaccicheck nos cães, para confecção de protocolos vacinais individualizados após o conhecimento dos títulos de anticorpos contra Parvovirose, Cinomose e Hepatite canina.”
FOTOS DOS ESTAGIÁRIOS SENDO INSTRUÍDOS PELO FERNANDO - Foto 4 
https://drive.google.com/open?id=1u6SRLbKeu2AUVbJgg3po263u6YYxJaS1
Antes da realização dos testes nos cães da Companhia de Operações com Cães do Bope, o Dr. Fernando S. Kloster, Médico Veterinário na VP Diagnóstico, fez uma breve explicação sobre o teste para os estagiários de Medicina Veterinária da unidade:

“A experiência que tivemos no BOPE foi muito produtiva. Estivemos para lá para conversar com o médico veterinário, Dr. Ricardo Zanatta, da Polícia Militar, e com seu grupo de estagiários. Então, eu e Gisele  fizemos uma breve explicação sobre os anticorpos e também sobre as falhas na resposta vacinal.”

Os médicos veterinários da VP Diagnóstico puderam esclarecer dúvidas e responder perguntas como: “Por que é um cão não respondeu?” “Por que vacinação é diferente de imunização?”. Dr. Fernando conta mais sobre esse assunto: 
 
“Explicamos que os anticorpos maternos presentes nos filhotes podem inativar a vacina. 
Outros motivos que resultam nessa falha da vacina, são: estresse, hormônios, má nutrição, cães acometidos de parasitose. Há ainda a questão dos cães geneticamente não responsivos, então explicamos como detectar se esse cão é geneticamente não responsivo ou não. Apresentamos um gráfico com o exemplo de uma vacinação, analisando qual é o anticorpo que sobe e desce, e qual é o anticorpo que fica mais tempo no  organismo  do animal, protegendo-o por um bom tempo, durante boa parte de sua vida.”


Após a breve palestra sobre os testes, todos os presentes tiveram a oportunidade da experiência prática: 

“Foram colhidas três amostras de sangue de três pacientes diferentes. Esses testes foram feitos mostrando para a equipe local o passo a passo do Vaccicheck, demonstrando como  funcionam  e quais são as  diferentes fases do teste Elisa. Apresentamos o que acontece em cada poço da placa reveladora, e apontando em quais eram os poços em que havia a ligação do antígeno com anticorpo,  os poços de lavagem, poços de adição do cromógeno, a questão da coloração do pente, etc. O terceiro teste foi  realizado por um dos estagiários, sob minha supervisão, do médico veterinário do da PM, o Dr. Ricardo e da Zohar, para que os estudantes tivessem a experiência prática.”


FOTOS APLICANDO OS TESTES foto 5 e 6 
https://drive.google.com/open?id=177vlGARL6KCcR3WsPNbl2c2v1qiVj-v1
https://drive.google.com/open?id=1pflghlJb8rZADoQlyATHIpGYCzWUIjCm
 
Após a realização da ação, nossa equipe conversou com o time de estagiários, que nos contaram como foi a experiência:
 
DESTAQUE - DEIXAR EM ITÁLICO
 
FOTO GABRIEL - Gabriel 7
https://drive.google.com/open?id=1eR4c4i2PSLGqFrJ5UFu2xMfb6xrFZAeJ
Legenda: Gabriel Pivato Alves, estudante do 8° Período do Curso de  Medicina Veterinária da Universidade Tuiuti do Paraná. 
 
Você já conhecia o kit Vaccicheck®?
Não, provavelmente pela demanda do mercado ainda ser baixa. Podendo ser explicada pelo não conhecimento do produto por muitos veterinários e tutores. 
 
O que achou do kit Vaccicheck®?
Excelente, o produto cumpriu com o objetivo prometido, e surpreendeu no curto tempo de realização, facilidade de aplicação e resultados assertivos. Se faz de grande importância a avaliação de títulos da parvovirose e cinomose, que hoje, representam significativos números na clínica e muitas vezes evoluem ao óbito. Além de ser uma ferramenta a mais, assim auxiliando o clínico na tomada de decisão sobre o protocolo vacinal de cada paciente.
 
FIM DO DESTAQUE - PULAR LINHA
 
FOTO ANA JÚLIA - Julia foto 8
https://drive.google.com/open?id=18ih3aMIdzFSTFig78uFxTVPK56OI7CUr
Legenda: Ana Júlia Fontes Gonçalves, estudante do 8° Período do Curso de  Medicina Veterinária da Universidade Tuiuti do Paraná. 


Você já conhecia o kit Vaccicheck®? O que achou do teste?
Não, conheci através do estágio com os cães do BOPE e Dr Ricardo Zanatta. Produto INOVADOR e tecnológico onde vê a real necessidade da vacinação em cães.
FIM DO DESTAQUE - PULAR LINHA
 
 
FOTO LUANA - Luana foto 9
https://drive.google.com/open?id=1K34YfY-AHv_OMGioPnzhR0GJyaccnGJS
Legenda: Luana Gabriele Weber, estudante do último ano do Curso de  Medicina Veterinária.
Você já conhecia o kit Vaccicheck®? O que achou do teste?
Não conhecia.  Eu achei maravilhoso, possibilita um teste seguro e prático que evita vacinações repetitivas sem necessidade e verifica se o protocolo vacinal foi realmente efetivo. Principalmente em raças como Golden e Rottweiler no qual os novos estudos indicam 4 doses.
 
FIM DO DESTAQUE - PULAR LINHA
 
FOTO NICOLE - Nicole foto 10
https://drive.google.com/open?id=1alKQZNm6MvKGqRR89qvhMeCiGKO70eNP
Legenda: Nicole Z. Fritola , estudante do 9º período  do Curso de  Medicina Veterinária da Universidade Tuiuti do Paraná. 
Você já conhecia o kit Vaccicheck®? O que achou do teste?
Não conhecia. Achei interessantíssimo, pelo fato de não ter tido contato com um teste rápido de ELISA para a titulação de anticorpos. Este teste seria de suma importância para evitar revacinações desnecessárias ou ainda para verificar a eficácia das vacinas. 


FIM DO DESTAQUE - PULAR LINHA
FOTO com a Zohar - Zohar foto 11
https://drive.google.com/open?id=1r3ctPSTuD4LpI4YYv0D8fD44vHvFSQWc
 
Sobre a receptividade da Companhia Operações com Cães - BOPE / PMPR em Curitiba, Zohar compartilhou conosco seu depoimento:
“Antes de mais nada, quero agradecer à VP Diagnóstico por compartilhar com a Biogal a visita ao BOPE e, principalmente, ao Dr. Ricardo Zanatta por nos mostrar as instalações da sede.
Acredito que a decisão do veterinário de aplicar os testes VacciCheck em sua prática é de extrema importância. Sabemos que esse tipo de entidade trabalha com cães de raças expostos a estresse constante, dando-lhes uma dieta equilibrada e mantendo seu estado físico em 100%; mas, também é muito  importante preservar e prevenir os animais de qualquer doença que possam estar expostos; e é aqui que entra a iniciativa do Dr. Zanatta de usar o diagnóstico preventivo.
O VacciCheck é um teste que ajudará o Dr. Zanatta a confirmar (em filhotes) ou verificar (em adultos) a titulação de anticorpos da vacina (Parvo, Cinomose e Hepatite), a fim de prevenir uma doença nos cães, epidemias no incubatório ou tratamentos de custos que são de extrema importância nas entidades estatais. 
Mais uma vez, parabéns ao Dr. Zanatta por uma excelente iniciativa e espero que seja realizada também em outros estados.”

FOTO  com Fernando - Fernando foto 12
https://drive.google.com/open?id=11nC1BPDQq0E6IQdWOduLx9DSBiNVqadr

Dr. Fernando também resumiu sua experiência com essa ação:

“Foi uma experiência muito produtiva, em que todos puderam aprender bastante e entender o como é que funciona o teste. Puderam verificar, na prática, que o teste que pode se tornar parte da rotina no Canil do BOPE, e que a ideia pode ser passada adiante. Compreenderam que o teste é muito útil no dia a dia dos clínicos. Foi uma experiência de construção. Todos saíram com um conhecimento muito maior, e que irá acrescentar muito em suas trajetórias.”
 
 
FOTO FERNANDO - Fernando foto 13
https://vpdiagnostico.shop/wp-content/uploads/2019/09/Vp_Diagnostico_O_que_e_o_protocolo_vacinal_e_qual_e_a_sua_importancia_01-300x300.jpg
 
CURRÍCULO FERNANDO
Fernando S. Kloster é Médico Veterinário na VP Diagnóstico. Graduado em Medicina Veterinária pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2008), especialista em Biotecnologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2010) e mestre em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Paraná (2013).
FOTO GISELE
 
CURRÍCULO GISELE
Gisele Ludwig Tesserolli de Andrade é Médica Veterinária na VP Diagnóstico. Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Paraná (2001), Mestre em Ciências Veterinárias (UFPR, 2003).
 
FOTO DR RICARDO -Ricardo foto 14  SERIA MELHOR UMA FOTO PROFISSIONAL
https://drive.google.com/open?id=1a-7IPeJAsGJ8NNlM193sjW_nW9b6XRoI
 
CURRÍCULO DR RICARDO 
Dr. Ricardo Zanatta. Médico Veterinário formado pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem pós-graduação em Acupuntura Veterinária e Saúde Quântica, e está cursando pós em Homeopatia e Fitoterapia. É sócio no Medinvet - Instituto de Medicina Veterinária Integrativa, em Curitiba-PR e é o responsável pelos cães da Polícia Militar, Polícia Civil e dos Bombeiros do Estado do Paraná.
 
FOTO DESTAQUE / BANNER 
https://vpdiagnostico.shop/wp-content/uploads/2019/09/Vp_Diagnostico_O_que_e_o_protocolo_vacinal_e_qual_e_a_sua_importancia_02.png
 
Quer saber mais sobre o assunto? Aqui no blog temos mais posts sobre o VacciCheck:
O VacciCheck® confere a imunidade de cães com relação a três enfermidades.
Estudantes de Medicina Veterinária da UNISOCIESC utilizam VacciCheck® em aula.
Estudantes de Medicina Veterinária testam o kit Vaccicheck®
 
 
Fontes:
https://bandnewsfmcuritiba.com/parceria-cria-memorial-para-caes-mortos-da-pm-e-do-corpo-de-bombeiros/
11/02/2020 - Vaccicheck

Cães do BOPE / PMPR são avaliados com teste Vaccicheck

“A experiência que tivemos no BOPE foi muito produtiva. Estivemos para lá para conversar com o médico veterinário, Dr. Ricardo Zanatta...

Saiba Mais
Com mais de 54 mil seguidores no Instagram, e conquistando novos admiradores, Luna Bella faz o teste  VacciChek.
 



 
Recentemente a VP Diagnóstico foi marcada um post super bacana no perfil da Luna Bella no Instagram. Por lá ela ‘conta’ sua experiência com o teste VacciCheck: 
 


 
 
Ficamos animados com o relato e sua repercussão, e logo conversamos com a Katia Araújo, tutora da Luna Bella e  Dra. Larissa Bitencourt, especialista em Nutrição Funcional Veterinária, e que foi fundamental para que a Luna para fizesse o teste. 
 
 
Katia, você já conhecia o Kit Vaccicheck? 
“Eu conheci através do Instagram da Dra. Larissa. Ela sempre fez muitas postagens sobre o assunto e eu me interessei bastante, pois sempre fui contra qualquer excesso. Quando criança eu tive duas poodles (meus pais que cuidavam) que viveram 18 e 17 anos respectivamente e não lembro delas terem tomado tantas vacinas ao longo da vida, e nunca tiveram nenhuma doença. Quando resolvi ter cachorro novamente e fui pesquisar sobre o protocolo vacinal atual, fiquei realmente assustada com a quantidade de vacinas que te induzem a aplicar ao longo da vida do cachorro. Eu seguia o protocolo tradicional de vacinação mesmo sendo contra. Quando conheci o Vaccicheck um novo mundo surgiu na minha cabeça. A Luna tinha acabado de fazer as vacinas de reforço (1 ano e 4 meses) e eu decidi que quando estivesse novamente na época de vacinar, eu iria fazer o Vaccicheck antes, para só vacinar se realmente fosse necessário.”
 
 
FOTO  - Luna e Katia 4

Foto divulgação: @luna_
 
Kátia nos conta que o Vaccicheck ainda não é muito conhecido, e que teve algumas dificuldades no caminho. 
 
 
“Eu fiz o Vaccicheck por iniciativa própria, sem consultar a Dra. Larissa, mas quando chegou o resultado eu enviei imediatamente para ela, pois a considerei a pessoa mais preparada para interpretar o resultado do exame, já que ela já faz esse exame há muito tempo. 
Infelizmente são raros os veterinários aqui no Rio de Janeiro que conhecem e recomendam o Vaccicheck. Até mesmo para fazer o exame eu tive dificuldade em encontrar clínicas que fizessem. Algumas clínicas já fazem mas não sabem interpretar corretamente o resultado e relacionar com o histórico/estilo de vida do cão.“
 
 
Katia, quais dúvidas você teve / tinha sobre o produto?
“Eram em relação às doenças que ele avaliava, e se depois de feito o exame, se ele seria válido como um “comprovante” de que as vacinas estão em dia, para os lugares onde eu preciso apresentar a carteira de vacinação. Eu resolvi anexar o resultado do exame na carteirinha e até agora está sendo aceito, mas é sempre preciso explicar.“
 
Como foi a experiência de usar o Vaccicheck na Luna?
“Eu tive algumas dificuldades para conseguir fazer o exame"
 
 
FOTO - Dra Larissa 5

Foto divulgação: Instagram @dralarissabitencourt._
 
A Dra. Larissa Bitencourt, que atendeu a Luna, conta mais sobre o processo: 
 
Dra. Larissa, como foi desenvolvido o protocolo vacinal da Luna ?
 
“Depois de ter em mãos o resultado do teste de titulação de anticorpos,  pude então avaliar se havia necessidade ou não de uma revacinaçãocao na Luna. O resultado foi muito satisfatório: 
 
Cinomose Canina IgG: Score 4
Hepatite Infecciosa Canina IgG: Score 5
Parvovirose Canina IgG: Score 5
 
Diante desse resultado, cheguei a conclusão que a Luna ainda se encontra bem protegida contra as principais doenças que acometem os cães, tornando desnecessário a vacinação por pelo menos 3 anos seguintes. Dessa maneira seguimos apenas com a vacina anti-rábica.”
 
Dra. Larissa, qual é a sua visão atual sobre a recepção do VacciCheck pelos tutores e outros profissionais da área? 
 
“ Atuo no Rio e em Minas Gerais (juiz de Fora) além de atender pacientes do Brasil todo via consultoria nutricional on-line, e o que eu vejo hoje são tutores procurarem a Titulação de anticorpos como forma de evitar a vacinação desnecessária em seus pets e a sobrecarga vacinal. A aceitação dos tutores ainda é bem melhor do que os colegas veterinários. Acredito que seja uma questão de tempo até que todas possam ter acesso as informações e aos novos estudos e possibilidades. Meu sonho é ver todos os colegas usarem essa ferramenta em seus consultórios um dia, assim como usam as vacinas.”
 
Katia, qual  é a sua dica para quem ainda não conhece o VacciCheck?
 
“Acredito que quando tivermos mais veterinários que trabalhem com este exame e dêem essa opção ao tutores, o processo será simplificado. Ainda temos poucos veterinários e também poucos tutores que conhecem o exame a ponto de cobrar do veterinário. Quanto mais a informação se espalhar, melhor será para os nossos cachorros.”
 
Dra. Larissa, quais são os outros exames fundamentais para avaliar a saúde dos cães?
 
“Avaliar série vermelha e branca (hemograma completo), funções hepáticas e renais é fundamental para ter certeza que está tudo funcionando como deve. Além disso, fazer 1 ultra anualmente ajuda muito na detecção precoce de problemas de saúde.”
 
 
PERFIL DA LUNA
Saiba mais sobre a Luna Bella: 
 
FOTO 6 e 7 

 
Foto divulgação: Katia Araújo / @luna_
 
Bio
Uma Spitz bravinha, mas bem humorada
Idade
2 anos e meio
O que mais gosta de fazer
Adora passear em lugares abertos como parques, praia etc. 
Temperamento
Katia, conta que a Luna é: “simpática com os humanos (cumprimenta todos), é indiferente com outros cachorros e odeia que a peguem no colo, ou fiquem passando mão a pelo dela. Ela só permite isso com pessoas que ela já conhece. Muito esperta, adora brinquedos interativos de enriquecimento ambiental, gosta de bolas e pelúcias pequenas. Super cuidadosa, nunca destruiu nenhum brinquedo. Gosta de ser o centro das atenções em casa. Se percebe que não tem ninguém olhando pra ela, começa a uivar para chamar a atenção.”
 
 
 
Quer saber mais? 
 
Além de divulgar novas pesquisas e estudos sobre a Medicina Veterinária, no blog da VP gostamos de apresentar as experiências que tutores, veterinários e pesquisadores têm com nossos Kits sorológicos, de tipagem sanguínea, para dermatologia, bioquímicos e de reprodução. Confira outros artigos relacionados no Blog. 
 
Estudantes de Medicina Veterinária testam o kit Vaccicheck®
Estudantes de Medicina Veterinária da UNISOCIESC utilizam VacciCheck® em aula.
 
 
 
 
FOTO DOUTORA LARISSA
 
FOTO - Dra Larissa 8 

Foto divulgação: Instagram @dralarissabitencourt._
 
CURRÍCULO DR. LARISSA
10/02/2020 - Vaccicheck

Luna Bella é avaliada com o teste VacciChek.

Foto divulgação: Instagram @dralarissabitencourt._

Saiba Mais
TÍTULO
 
Doenças infecciosas  em felinos e sua prevenção
 
CHAMADA (aquela Meta descrição  que fica em destaque no blog)
 
Conversamos com as Dras. Marúcia de Andrade Cruz e Ana Laura D’Amico sobre a importância do diagnóstico de Toxoplasmose, sua prevenção e relação com outras doenças infecciosas em felinos. Confira. 
 
 
TEXTO  
 
A Toxoplasmose é uma zoonose de distribuição mundial, causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Embora os felinos não sejam os principais “vilões”na transmissão da Toxoplasmose, ainda existem muitas dúvidas dos tutores sobre a participação dos felinos no ciclo dessa doença e a relação da Toxoplasmose com outras enfermidades importantes em felinos. 
 
Recentemente o  Laboratório Pró Vita  e a Clínica Veterinária Mania de Gato realizaram uma série de testes utilizando os Kits ImmunoComb Toxoplasma & Chlamydophila Felina. A atividade faz parte de um estudo que será publicado posteriormente e também compartilhado aqui em nosso blog. Aproveitando esse encontro e parceria, entrevistamos as Dras. Marúcia de Andrade Cruz e Ana Laura D’Amico. Elas nos contam mais sobre a importância do diagnóstico de Toxoplasmose  em felinos e sua prevenção e suas experiências com o os Kits da VP Diagnóstico. 
 
 
IMAGEM  / legenda
Fotos do laboratório Pró Vita e Mania de Gato durante a realização dos testes de Toxoplasma & Chlamydophila Felina.
 
 
A solicitação do teste sorológico para Toxoplasmose está na rotina do clínico veterinário que atende felinos? Porque você acha que isso acontece?
 
Dra. Ana Laura D’Amico: A sorologia para toxoplasmose é um exame pouco solicitado na nossa rotina laboratorial e está mais vinculada à casos de tutoras gestantes, assustadas por seus médicos obstetras sobre o risco de contração da doença durante este período.
 
 
IMAGEM  / legenda
Fotos do laboratório Pró Vita e Mania de Gato durante a realização dos testes de Toxoplasma & Chlamydophila Felina.
 
 
Os tutores se preocupam com a Toxoplasmose? conhecem o papel que os gatos têm no ciclo da doença?
 
Dra. Marúcia de Andrade Cruz: Em geral há preocupação sim com a toxoplasmose, e os tutores são esclarecidos sim, o maior problema está no desconhecimento dos familiares dos tutores, os que não têm  gatos e não procuram fontes corretas de informação! E algumas pessoas confundem-se com relação a vacinação!
 
destaque
 
Para saber mais sobre Toxoplasmose, acesse o artigo aqui.  
 
fim destaque
 
 
Os tutores sabem da importância de prevenir as doenças infecciosas em felinos?

Dra. Marúcia de Andrade Cruz: Sim,  há uma preocupação com o diagnóstico, modo de transmissão e imunoprofilaxia.


 
IMAGEM  / legenda
Fotos do laboratório Pró Vita e Mania de Gato durante a realização dos testes de Toxoplasma & Chlamydophila Felina.

Na sua prática laboratorial, é comum observar alterações hematológicas e/ou bioquímicas nos felinos reagentes para Toxoplasmose? Quais são as alterações mais  observadas?
 
Dra. Ana Laura D’Amico: Infelizmente, não sei responder a questão pois não me lembro de já ter visto algum caso positivo para toxoplasmose (doença). Sei que os raros animais que apresentam clínica costumam ter infecções bacterianas secundárias, como enterites e pneumonia, o que possivelmente levam à leucocitose e desvio a esquerda. A formação de cistos musculares talvez eleve enzimas presentes nesse tecido, como CK e AST. Porém, estou especulando.


 
IMAGEM  / legenda
Fotos do laboratório Pró Vita e Mania de Gato durante a realização dos testes de Toxoplasma & Chlamydophila Felina.
 
 
Quando um felino apresenta resultado positivo para Leucemia Viral Felina, é indicado pesquisar também outras doenças infecciosas nesse paciente?
 
Dra. Ana Laura D’Amico: Com certeza, sabendo que a leucemia viral felina pode levar à imunossupressão, hemoparasitas e outras infecções podem ser desenvolvidas nesses pacientes com sistema imune falho.
 

destaque
 
A clamidiose felina é uma doença altamente contagiosa. Causada pela bactéria Chlamydophila sp, afeta o trato respiratório e ocular dos gatos, podendo levar ao desenvolvimento de conjuntivite. Para saber mais sobre Clamidiose Felina, confira nossa entrevista com a Dra. Fernanda Kindler Marques aqui. 
 
fim destaque
 
 
Qual foi o seu primeiro contato com os Kits da VP Diagnóstico, principalmente o Kit ImmunoComb Toxoplasma & Chlamydophila IgG? E como essa tecnologia trouxe benefícios para a rotina clínica e no diagnóstico?
 
Dra. Ana Laura D’Amico: O meu primeiro contato com o kit foi quando recebemos um kit para demonstração  alguns meses atrás. Sinto bastante falta do resultado de IgM associado para comparação.


Dra. Marúcia de Andrade Cruz: Na verdade meu contato é indireto com os Kits, pois sempre os utilizo através do laboratório! Sabidamente foi com a disponibilidade dos kits, e sempre poder testar um número maior de pacientes nos traz maiores respostas como estão nossos pacientes frente a um agente em nossa região, informações epidemiológicas importantes!


 
 
IMAGEM  / legenda
Fotos do laboratório Pró Vita e Mania de Gato durante a realização dos testes de toxoplasma &chlamydophila.







Na sua experiência clínica, você observa relação entre gatos com toxoplasmose e positivos para doenças virais (como peritonite infecciosa felina, imunodeficiência viral felina e/ou leucemia viral felina) ?

Dra. Marúcia de Andrade Cruz: Já fizemos um diagnóstico de um paciente positivo para FIV com Toxoplasmose enfermidade, neste caso hepatite. Recentemente testamos uma paciente para toxoplasmose com sinais neurológicos negativos para FIV e FELV, mas ainda não testada para coronavírus.

Qual é a sua recomendação para os tutores quanto ao protocolo vacinal e o uso dos testes para diagnóstico da saúde dos animais?

Dra. Marúcia de Andrade Cruz: Nossa recomendação é que se realize a primovacinação a partir de 60 dias, escolhendo entre quádrupla ou quíntupla dependendo da dinâmica familiar, com reforço em 30 dias e anual para os pacientes com vida semi-domiciliar e a cada dois ou três anos para os estritamente domiciliados e com populações controladas e negativos para FELV! E imunoprofilaxia para raiva a partir de quatro meses e sempre anual e recomendação atualmente semestral para os FIV e FELV positivos!
Dra. Ana Laura D’Amico: Com relação a protocolo vacinal, não posso opinar pois está fora da minha área de atuação e estudo. Porém, com relação ao uso de testes para diagnóstico de saúde, de resposta vacinal, de sistema imunológico capaz, sou 100% a favor.
 
 
 
 
 
 
IMAGEM  / legenda
Fotos do laboratório Pró Vita e Mania de Gato durante a realização dos testes de toxoplasma &chlamydophila.
 
 
______
 
 
IMAGEM da Dra. |  MINI CV da Dra.
 
Dra. Marúcia de Andrade Cruz
Graduada pela UDESC em Medicina Veterinária em 1999. Pós graduada pela PUCPR em clínica médica e cirúrgica de animais de companhia em 2002. Mestre em Ciências Veterinárias pela UFPR em 2007 com o tema Toxoplasmose. Pós graduada pela PUCPR em Manejo Comportamental de cães e gatos em 2012. Foi Professora de Clínica Médica de Felinos (UTP) durante 4 anos. Foi Professora da Qualittas de Doenças Infecciosas de Felinos Domésticos. Professora da PUCPR em módulo de Medicina Felina na Pós-graduação de Clínica Médica de Animais de Companhia. É sócia proprietária e fundadora da Clínica Veterinária Mania de Gato (Curitiba-PR) desde 2001.
 
Mania de Gato
 
A Clínica Veterinária Mania de Gato, fundada em 2001, construiu uma história de dedicação e respeito aos gatos e seus responsáveis. Foi o que nos levou a concretizar um ideal, o de criar um centro veterinário especial para o seu companheiro felino oferecendo conforto e qualidade nos mais diversos serviços. Surgiu assim um espaço exclusivo para gatos domésticos em Curitiba, somos a primeira clínica do sul do Brasil que oferece a você e ao seu cat a possibilidade encontrar em um único local: Cat shop | Cat Hotel | Banho e afins
 
Dra. Ana Laura D’Amico
Formada em Medicina Veterinária pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em 2008. Realizou residência médico-veterinária na área de Patologia Clínica de 2008 a 2010. Possui Especialização em Urgências Médicas e Terapia Intensiva pela Qualittas. É Mestre pela Universidade Federal do Paraná em Ciência Animal, com ênfase em Patologia Clínica. Hoje faz MBA em Gestão Empresarial, é professora da Qualittas, da VeteduKa e sócia proprietária do Laboratório Veterinário Pró Vita, em Curitiba-PR.
 
 
 
Laboratório Pró Vita 
 
O Pró Vita é especializado em patologia clínica e tem como responsável técnica a médica veterinária Drª Ana Laura D’Amico Fam, graduada e com residência médico veterinária em Patologia Clínica pela PUC-PR. Especialização em urgências e emergências Clínico-cirúrgicas de animais de companhia pelo Instituto Qualittas de Pós-Graduação. Especialização em patologia clínica veterinária pelo Instituto Qualittas de Pós-Graduação realizado com bolsa integral como prêmio pelo 3º melhor trabalho do Congresso MedVep (2001). Mestrado em ciências veterinárias, com ênfase em patologia clínica e professora do Instituto Qualittas de Pós-Graduação.
 
 
 
 
 
 
Siga no Instagram
 
@VPDiagnostico
@labprovita
@maniadegato_vet
 
 
 
 
 
 
 
 
PALAVRAS-CHAVE
 
VP Diagnóstico
Kits ImmunoComb 
 ImmunoComb Toxoplasma & Chlamydophila 
Laboratório Pró Vita 
Doenças virais em felinos
Doenças infecciosass em felinos 
felinos 
Mania de Gato 
Leucemia Viral Felina
19/12/2019 - Informação

Doenças infecciosas em felinos e sua prevenção

Conversamos com as Dras. Marúcia de Andrade Cruz e Ana Laura D’Amico sobre a importância do diagnóstico de Toxoplasmose, sua prevenç&a...

Saiba Mais
Conversamos com a Dra. Helena Kyoko Ade, do Laboratório PaddockTiba, sobre doenças dermatológicas em animais e também sobre o uso prático do kit RapidVet-D, produto utilizado na identificação de dermatófitos em animais doméstico. Confira. 
 
PERGUNTAS
 
Qual é a importância de um teste dermatológico para os animais?
 
A Identificação do agente é importante para direcionar o tratamento do paciente, evitando uso inadequado de medicamentos e recidivas da dermatite.
 
Quais são as principais doenças dermatológicas em animais domésticos?
 
Infecções por fungos ou bactérias, dermatite atópica e dermatite alérgica a picada de ectoparasitas. 
 
Como os médicos veterinários dermatologistas reconhecem doenças e elaboram diagnósticos? 
 
De acordo tipo de lesão, localização, ambiente que o animal fica. O diagnóstico é confirmado por exame parasitológico, citologia, bacteriologia e micologia.
 
  Como os médicos veterinários escolhem os exames laboratoriais mais adequados para doenças dermatológicas?  Todos necessitam ir para o laboratório?
 
Pela aparência das lesões e sinais clínicos apresentados pelo paciente. Nem sempre é necessário de exames laboratoriais, tem dermatite que o diagnóstico é visual ou pela Otoscopia feito através do exame clínico.
 
 
 
 
 
 
O que são dermatófitos e quais espécies infectam os animais?
 
São fungos que podem ser patogênicos ou não. Os principais fungos patogênicos são os Epidermophyton, Trichophyton, leveduras, Microsporum canis.
 
 
IMAGEM DO PRODUTO  / Montagem
Registro do teste realizado no Laboratório PaddockTiba.
 
 
O  Kit RapidVet-D foi desenvolvido para auxiliar no diagnóstico da condição dermatológica de cães, gatos, coelhos e cavalos. A  Dra. Helena testou o produto e contou como foi sua experiência:
 
 
Qual é o diferencial do kit RapidVet-D* sobre outros produtos disponíveis?
 
O resultado é rápido, e muda a coloração do meio quando tem crescimento de alguns fungos patogênicos.
 
 
 
 
*RapidVet Dermatology – kit para identificação de dermatófitos em animais domésticos.
 
 
 
IMAGEM da Dra. |  MINI CV da Dra.
 
Dra. Helena Kyoko Abe é formada pela UFPR, proprietária do Laboratório PaddockTiba de Análises Clínicas Veterinárias, fundado em 1989, e atua no Jockey  club do Paraná com foco com na Medicina Equina.
 
 
Para saber mais sobre o  kit RapidVet-D, acesse o artigo sobre essa linha  de Kits dermatológicos aqui.  LINKAR PARA O POST ANTERIOR
01/11/2019 - Informação

Kit RapidVet-D na prática. Saiba mais sobre esse teste dermatológico.

Conversamos com a Dra. Helena Kyoko Abe, do Laboratório PaddockTiba, sobre doenças dermatológicas e também sobre o uso prático...

Saiba Mais
A VP Diagnóstico está realizando uma série de testes com profissionais da área para, futuramente, oferecer os Kits Dermatológicos RapidVet-D. Os testes dessa linha são indicados para uso em consultório veterinário para cães, gatos, coelhos e cavalos como parte do diagnóstico da condição dermatológica dessas espécies. Saiba mais sobre o RapidVet-D e também a opinião de quem já utilizou o produto. 
 
TEXTO  
 
Saiba mais sobre o RapidVet-D
 
O RapidVet-D  é composto por uma série de testes em consultório para uso em cães, gatos, coelhos e cavalos como parte do diagnóstico diferencial do veterinário sobre sua condição dermatológica. Os Kits empregam formulações projetadas para a detecção de fungos que causam complicações clínicas nas espécies indicadas nas instruções relacionadas no kit..
 
 
 
Trata-se de um teste de diagnóstico para dermatófitos em cães, gatos, coelhos e cavalos, que depende apenas de uma mudança de cor, ou falta dela, dentro de 24 a 96 horas. Entre os diferenciais do RapidVet-D estão inclusos os nutrientes e antibióticos no substrato da reação, além do revestimento interno do frasco de vidro  para obter resultados mais rápidos.
 
Eficazes e de resultados rápidos, os testes da linha Kit RapidVet-D  são indicados para uso em consultório veterinário.
 
O produto não requer exame microscópico de crescimento de fungos;
O teste fornece uma resposta, positiva ou negativa, dentro de 4 dias.
O tratamento pode ser iniciado muito mais rapidamente em resposta a um resultado positivo.
No caso de um resultado negativo, outros testes podem ser solicitados e o verdadeiro problema identificado mais rapidamente.
Precisão geral de 97,8%.
 
IMAGEM DO PRODUTO
 
 
Teste eficaz e resultados rápidos.
 
Os produtos RapidVet-D foram projetados especificamente para uso em consultório veterinários para detectar apenas os dermatófitos que afetam cães, gatos, coelhos ou cavalos.
 
O RapidVet-D permite que os organismos-alvo metabolizem vários nutrientes e produzam substâncias metabólicas alcalinas muito mais rapidamente que o meio Sabouraud ou Taplin. Ele também suprime de forma mais agressiva o metabolismo de outros organismos que normalmente também fazem com que o indicador de pH mude de cor.
 
 
O período de tempo necessário para que os organismos alvo causem a mudança de cor é menor que o período durante o qual o crescimento de outros organismos é suprimido. Assim, uma mudança de cor ou sua ausência pode ser estatisticamente considerada uma indicação da presença ou ausência de dermatófitos na amostra.
 
 
INSERIR IMAGEM DO PRODUTO OU DE ANIMAIS
 
A VP Diagnóstico está realizando uma série de testes com profissionais da área para oferecer os Kits Dermatológicos RapidVet-D. Saiba mais sobre o RapidVet-D e também a opinião de quem já utilizou o produto. Conversamos com a Dra. Helena Kyoko Abe, que compartilhou sua experiência conosco. Confira aqui. LINKAR PARA O POST SEGUINTE
 
Fontes: 
 
http://www.rapidvet.com/rvdb_info.html
http://www.rapidvet.com/pdf/pi_RVD10EQ_011912.pdf
http://www.rapidvet.com/images/rvdbcardl.jpg
http://www.rapidvet.com/images/RVD-EQ%20kit%20sm%20005.jpg
https://vet.ufmg.br/ARQUIVOS/FCK/file/editora/caderno%20tecnico%2071%20dermatologia%20caes%20e%20gatos.pdf
https://www.drugs.com/vet/rapidvet-d-test-for-veterinary-dermatophytosis.html
01/11/2019 - Informação

Conheça a Linha de Kits Dermatológicos RapidVet

A VP Diagnóstico está realizando uma série de testes com profissionais da área para, futuramente, oferecer os Kits Dermatológicos Ra...

Saiba Mais
VP Diagnóstico participa do Simpósio Brasileiro de Saúde de Longevidade Pet. 
 
CHAMADA 
Entre os dias 12 e 13 de outubro a VP Diagnóstico esteve presente do Simpósio Brasileiro de Saúde de Longevidade Pet, em São Paulo. Saiba mais como foi:
 
PRIMEIRO PARÁGRAFO PARA O BLOG NO SITE NOVO
 
 
O Simpósio Brasileiro de Saúde de Longevidade Pet, considerado o maior em medicina veterinária preventiva no país,  aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro. O evento teve o objetivo de transmitir conhecimento para a promoção da saúde, qualidade de vida e longevidade dos pets. Conversamos com a Dra. Diana Romão, que estiveram por lá, e nos contam como foi o evento. 
 
TEXTO  / PERGUNTAS
 
 
"Saúde e longevidade ou longevidade da saúde?" Esse foi o tema da palestra de abertura do Simpósio de Saúde e Longevidade Pet. Como a Medicina Veterinária tem evoluído nessa temática?
 
A medicina de cães e gatos têm abordado cada vez mais, embora de forma ainda incipiente, a necessidade de uma medicina holística e preventiva para oferecer mais longevidade com qualidade de vida aos nossos pacientes! É um trabalho de formiguinha, onde usamos inicialmente as palavras para desconstruir e construir idéias até conseguirmos mudar uma cultura!
 
 
 
Congressos trazem muitas trocas e é uma  experiência intensa de conhecimento. Qual a maior contribuição desses eventos para o seu dia a dia? 
 
 
O contato com profissionais de renome sempre acrescenta muito na nossa conduta! Além disso, por vezes ficamos cansados de "lutar contra a corrente" em um ambiente cheio de profissionais fechados para a utilização de uma abordagem integrativa! O contato com pessoas que trabalham na mesma linha que você e têm o mesmo sonho é revigorante e estimulante! Retorno à minha cidade muito motivada a difundir esse conhecimento!
 
 
Dentre os temas abordados no Simpósio, qual foi o mais relevante para a sua prática profissional? Porquê?
 
Pouco conhecia sobre a utilização terapêutica da Cannabis sp. Com certeza, assim que possível, ela entrará nos meus protocolos dada a sua eficácia no controle da dor e comprometimento neurológico, pois tenho grande demanda nessa área! Além disso, minha consulta inicial será ainda mais demorada para abordar vários aspectos negligenciados, mas que fazem muita diferença na qualidade de vida do paciente!
 
 
IMAGEM  Diana Romão
 
 CV
Diana Romão é Graduada em medicina veterinária desde 2007 pela universidade estadual do Ceará (UECE). Mestrado em Ciências Veterinárias pela mesma instituição em 2009. Pós-graduação em acupuntura. Pós-graduação em clínica e cirurgia de cães e gatos. Atuação em nutrição e medicina nutracêutica de cães e gatos desde 2014
 
 
 
 
Veja como foi o evento no registro realizado pela Pet Viva Mais.
22/10/2019 - Notícias

VP Diagnóstico participa do Simpósio Brasileiro de Saúde de Longevidade Pet.

Entre os dias 12 e 13 de outubro a VP Diagnóstico esteve presente no Simpósio Brasileiro de Saúde de Longevidade Pet, em São Paulo. Saiba m...

Saiba Mais